quinta-feira, 27 de abril de 2017

Nós, os sonsos essencias

Os outros? Estão todos errados! O problema é que além de ser eu mesmo, eu também sou os outros. E se eles são muitos, e eu sozinho com minha singularidade sou tão pouco, então para não ser considerado louco, eu me faço de bobo e me finjo de morto. Faço isso para que na rua eu não seja apontado como um doido ou queiram vestir em mim uma camisa-de-força. O jeito é ser igual a todo mundo, ser um sonso essencial, e servir ao propósito da máquina do mundo que para funcionar plena precisa de engrenagens obedientes.Afinal, ser sonso é indispensável numa sociedade moderna e para ser um cristão convicto, um cidadão modelo ou o funcionário do mês.
Nós, os sonsos essenciais somos aqueles que buscam o aplauso da platéia e que tem pavor de uma vaia, já temos nosso lugar assegurado na jaula e nossa posição segura na manada. Por isso não olhamos nos olhos um dos outros que é para não corrermos o risco de nos vermos refletidos no olhar de estranhos. Nós, os sonsos essenciais temos um código, uma lei, uma lógica. Melhor ser cúmplice do que ser culpado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário